19 de abril de 2007

Fidelidade e a Riqueza das Nações


Descobri numa das últimas edições da The Economist um livro cheio de interesse: "Lust in Translation: The Rules of Infidelity from Tokyo to Tennessee" de Pamela Druckerman. E o que nos diz a autora? Que os seus estudos lhe indicam que a fidelidade conjugal é causa de desenvolvimento económico. Que esta fidelidade é mesmo directamente proporcional à riqueza das nações. Os mais fieis são os Suiços e os Australianos( apenas 2 e 3% de infidelidades, respectivamente). Os mais promiscuos são os africanos ( 37 % dos casados do Togo declaram ter vários parceiros). Irrelevante ? Talvez não. A máxima podia ser Menos lúxuria, carteira mais recheada.

3 comentários:

Susaninha disse...

São umas boas dicas para escolher marido, sim senhor!
Boa sorte com o novo blog.
:)

PATRICIA M. disse...

Hehehehehehehe. Faz todo o sentido! Ao inves de ter que sustentar 2 familias, o cara so sustenta 1. Maiores chances da prole ser mais bem sucedida...

MANUEL HENRIQUES disse...

Minhas prezadas amigas,

Só posso concordar convosco!!!
Não é popular dizê-lo mas o D.Juanismo é "muito caro" nos dias que correm...