7 de junho de 2007

Campo de Refugiados?


Na mais recente crise do médio-oriente, desta vez, ao que parece, não atribuida a Israel, penso que começa a fazer sentido desmistificar o conceito de campo de refugiados. O que a imprensa e a ONU designam por campo de refugiados é técnicamente uma cidade. Veja -se o caso de
NAHR EL-BARED. A cidade é pobre. Paupérrima se quiserem. Existe de facto uma minoria étnica. Expulsa da Palestina por vicissitudes da História (se quiserem). Mas não estamos perante algo de "transitório". Trata-se de um assentamento permanente de uma minoria étnica, entre tantas outras que no Líbano vivem.
O conceito de "campo de refugiados" aplicado a estas comunidades palestinianas mais não é de que um libelo anti-judaico que visa, apenas, tornar "provisória" ou aceitável para os politizados palestinianos, e seus amigos ocidentais, a "entidade sionista". Este facto é por demais cruel porque pereniza nas consciências destas pessoas um ideal de retorno a Israel impossível de concretizar. Como de tantos alemães a Gdansk ou Praga. Como de tantos judeus a Colónia, Nuremberga ou Vilnius. Como de tantos gregos a Constantinopla. Como de tantos turcos a Salónica.

2 comentários:

PATRICIA M. disse...

Concordo. A primeira vez que li "campo de refugiados", me veio a cabeca aqueles acampamentos imundos africanos, cheio de barracas, criancas semi-nuas mortas de fome, etc etc etc. Pura balela. Eh igualzinho uma favela carioca. Ou vao dizer agora que favela eh campo de refugiado tb?

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Discordo apenas do facto da consideração dos palestinianos como uma minoria étnica. Que eu saiba os palestinianos são tão árabes como os árabes xiítas ou sunitas ou cristãos ou drussos do Líbano!
Eles são árabes, apenas são originárias de uma região que o imperador Adriano resolveu mudar de Judeia para Palestina. Mas o Líbano, o Iraque, a Síria ou a Jordânia são habitadas pelos mesmos árabes, apenas mudando o nome que as forças ocidentais ocupantes (Roma, Impário Otomano, Inglaterra ou França) deram ás regiões do seu domínio.
J.