2 de fevereiro de 2008

Engº Pinto de Sousa (José Sócrates), Urbanista


Continua a saga do "polido" Sócrates. Os melhores marqueteiros e as mais vistosas gravatas de seda não escondem o fraco perfil do nosso primeiro-ministro para o cargo que ocupa. Nem se trata das politicas que tenta concretizar(não obstante a arrogância) : é sobretudo a pequenez, o golpismo, a falsidade e a soberba. O último capítulo " Sócrates, o Projectista" é apenas mais um que sublinha a falta de perfil (e o contínuo re-baixamento do perfil moral dos primeiros-ministros).
Fossemos nós gente civilizada, desde o caso do canudo este senhor já merecia ter regressado ao inner circle da construção na Covilhã.


Sem comentários: