9 de março de 2008

Sobre Vital Moreira

Sobre Vital Moreira in Grande Loja do Queijo Limiano

"Se Vital fosse anónimo, mesmo com nome próprio como é um avatar que anda por aí, a escrever em blogs, nada disto contava e ninguém lhe passava charuto.
Mas não é o caso. Por força da sua posição política de força, prestigiada pela ocupação de cargos públicos e currículo político, Vital Moreira erige-se como núncio de medidas e programas de governo e ao mesmo tempo acólito fervoroso das mesmas medidas e remédios para os males que configura como indiscutíveis. Dá conselhos directos a governantes. Dá palpites de estratégia e táctica. Recebe convites para assistir a conferências de gente importante. Dá palpites privados, certamente ouvidos, sendo membro de associações de carácter privado com relevância pública ( CEDIPRE).
Participa ou participou ( continuará no Conselho Geral e de Supervisão da EDP?) em corpos sociais de empresas públicas e dá pareceres consultivos em hospitais públicos ( de Coimbra); é solicitado para dar ( vender?) pareceres ao Governo sobre matérias de governação.
Enfim, é uma figura pública que escreve o que escreve, colocando-se acima da turba e neste caso, afrontando os professores do ensino Secundário, como afrontou outros profissionais de outros ofícios, sem assumir plenamente a sua condição de classe, a não ser a de apaniguado do poder, para tentar perceber a razão profunda de tão grande mal-estar.
Vital Moreira, é um guerreiro político. Não um menino, mas um maduro que não medrou democraticamente. Vital Moreira, conseguiria sobreviver numa ditadura qualquer, desde que lhe fosse próxima ideologicamente. Conseguiria arranjar argumentos para a defender com unhas e dentes metafóricos, tal como já fez no passado.
O caso do professor Vital, é por isso, um caso pessoal. Não deve estranhar que as críticas que lhe fazem, sejam também ad hominem. E que diferem das críticas ad persona, embora por vezes, perigosamente andem lá perto. Neste caso, porém, quando sucedem, sibi imputet. Vital Moreira, põe-se demasiadas vezes a jeito para o efeito. Responde à letra, com luvas contundentes.
E a mediocridade do actual poder político governativo, dá-lhe ampla rédea, agora segura pelo mesmo, porque o cavalga pelo lado da influência de facto, para se postar como cavaleiro andante da dama desse poder.
Quem escreve contra o que Vital Moreira escreve, do modo que o indivíduo não gosta, trata-o, afinal, como ele trata sempre os adversários: com amplo desprezo crítico. As palavras podem ser mais melífluas ou mais adocicadas, mas o espírito, esse, é patente e notório: Vital Moreira não tem qualquer respeito por ideias alheias que lhe tirem o tapete confortável que anda a ajudar a tecer e que tem essencialmente a ver com uma única coisa: poder de mandar nos outros, segundo as ideias próprias, sem legitimidade directa, para tal. "

Sem comentários: