21 de julho de 2009

António Minhoto

Sou insuspeito de simpatizar com o BE, partido que embora aguerrido e bem organizado, está a meu ver alicerçado em causas mediáticas e folclóricas, sem uma estratégia para mais do que 15% dos portugueses. Mas esta constatação não me tolhe a lucidez de considerar a escolha do Sr. António Minhoto para cabeça de lista do BE por Viseu uma óptima noticia. Escolher um homem de causas, independente, deixando para trás directórios partidários é de louvar e sobretudo revela lucidez do BE em se adaptar ao zeitgeist, alinhando as escolhas politicas com o sentir das populações. Estou certo que o Distrito de Viseu ficará bem representado caso António Minhoto venha a ser eleito. Estou convencido que terá bastantes hípoteses de o ser. Sendo provável que o PS perca pelo menos 1 deputado no cículo ( face a 2005), o BE irá disputá-lo com o PSD (que lutará pelo 5º mandato).
A escolha de António Minhoto pronuncia 2 cenários muito prováveis dentro de 4 anos : o fim dos candidatos para-quedistas sem ligação ao circulo (impostos pelas direcções partidárias) e o aparecimento de deputados independentes, reverentes com os eleitores e não com os secretários-gerais ( o que para os politicos de carreira é um drama....).

3 comentários:

manuel disse...

O BE, no seu estilo inconfundível, lá vai conseguindo levar a água ao seu moinho. A escolha de António Minhoto, é bastante perspicaz. Parece-me que ganhará mais o BE, que Minhoto e a causa dos mineiros, na minha opinião. A famigerada independência fica desde logo prejudicada quando a "entregamos" a um partido, qualquer que seja.

Manuel Vieira

MANUEL HENRIQUES disse...

Eu acho que a causa dos mineiros tem vitória anunciada. O PS, só por "orgulho" não dá po braço a torcer. Perdendo a maioria é assunto resolvido no 1º ano da legislatura...

Daniel Monteiro disse...

Não posso deixar de concordar com o Manuel, este filme já foi visto em outros casos, com contornos diferentes mas com um esboço idêntico, a fome do BE se colar a causas querendo depois proclamar para si as vitórias e confundido todas as negociações perturbando-as de morte poderá levar a que a causa dos mineiros se confunda numa gincana política que nada beneficia quem menos tem culpa.

Espero que a história não se repita e que esteja profundamente enganado, o tempo o dirá.