3 de agosto de 2009

Não Contemporizar com a pequena e a grande Corrupção

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1394518&idCanal=12

Veremos o que dá o recurso, mas a condenação de Isaltino Morais é um incentivo para os que acreditam que um grande banho ético é possível na nossa vida pública. Contráriamente ao que alguns propõem, não acho que sejam as limitações aos direitos politicos dos arguidos/acusados/pronunciados que fará a diferença. Estas limitações tem um fundamento populista, muito perigoso, que procura fazer justiça fora dos tribunais. Como bem defendia hoje, na Sic Noticias, Paulo Mota Pinto, enverdar por este caminho pode levar a limitações indevidas de direitos politicas de pessoas inocentes ( até que se forme caso julgado material).
O caminho correcto é a RESPONSABILIZAÇÃO dos eleitores pelas suas escolhas. Estes devem rejeitar os politicos "sujos", manchados pela utilização indevida do dinheiro público, pela mistura dos negócios públicos com a sua vida privada, pela sobrefacturação de empreitadas, pelo amiguismo na contratação. Antes de ser JUDICIAL este assunto é POLITICO. E antes de POLITICO tem a ver com EDUCAÇÃO e VALORES ÉTICOS.
Se continuarmos a contemporizar com esta gente que rouba, corrompe ou faz negócios consigo próprio não há hípotese de regeneração. O poder é todo nosso. Ao ditado rouba mas faz diremos NÃO OBRIGADO!! Cabe nos a nós nivelar por cima as nossas lideranças

Sem comentários: