5 de janeiro de 2010

2009: Positivo e Negativo

(Publicado na Edição nº 133 do Jornal "Canas de Senhorim")


Nunca é fácil escolher aquilo que de bom e mau ocorre num determinado ano. A avaliação é sempre individual e parte necessariamente das expectativas que tínhamos e da nossa visão – sempre particular - sobre os acontecimentos. Deixo-vos nesta edição de Dezembro a minha perspectiva.


Positivo


Infra-estruturas e equipamentos – Canas de Senhorim conheceu no ano que agora finda alguns investimentos públicos, dos quais resultaram significativas e visíveis melhorias. O ciclo político foi claramente favorável a algumas destas realizações. Merecem especial referência a construção da nova sede do Rossio e a inauguração do novo recinto da Feira, à muito prometido, onde o Município teve uma importante contribuição.
Contudo, a meu ver, o facto mais relevante em 2009 foi a aprovação estatal do financiamento parcial do Projecto de ampliação do Lar Padre Domingos que prevê o dobro da capacidade actual (de 20 para 40 camas). Numa época em que a pirâmide demográfica denota um cada vez maior peso da população idosa (devido ao decréscimo da natalidade e à melhoria dos cuidados de saúde dos nossos idosos) este projecto era uma carência visível. É de assinalar também, com agrado, que projectos similares em outras freguesias do concelho de Nelas aparecem e seguem o seu caminho. Para as entidades “gestoras” destes projectos fica o desafio de definirem critérios equitativos para a gestão das disponibilidades, porque a procura, em perspectiva, não irá parar de aumentar.
Está por isso de parabéns o Pe.Nuno e todos os que no Centro Social Paroquial trabalharam, durante três anos, para este objectivo. Com isto não se encerra o processo pois a Paróquia necessitará do contributo de todos pois cerca de metade do investimento será feito com fundos próprios.

Negativo

Economia em Depressão – O ano de 2009 foi catastrófico para o emprego. O encerramento de várias empresas tem sido, infelizmente, a nota dominante. É notório que a situação económica no concelho e na freguesia se degradaram. Emigrar ou trabalhar no litoral tornou-se, infelizmente, uma inevitabilidade para muitos cidadãos.
Neste contexto mais premente se torna um especial empenho da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal como promotores e facilitadoras das actividades económicas. É porventura tempo de direccionar forças a planos que possam tornar o concelho mais competitivo. O Turismo é o mais flagrante caso onde muito se pode fazer porque pouco existe. E não é preciso inventar a roda. Promoção da Hotelaria, criação de passeios pedestres, divulgação de circuitos patrimoniais, aposta forte no termalismo, no Carnaval, entre outras actividades, podem criar algum emprego na região. Já falámos sobre este assunto em outros artigos mas a promoção que é feita, por exemplo, ao Carnaval de Canas e à Feira Medieval é insignificante se comparada com aquilo que assistimos em concelhos vizinhos (baste ler a imprensa regional para chegar a esta conclusão). Porventura certos eventos que vemos como “de canenses para canenses” podem e devem ser potencializados – mais ainda – para permitir criar riqueza e fixá-la por cá. Estou em crer que as autoridades estarão atentas e saberão orientar as politicas neste sentido.
Outro aspecto negativo é a continuada estagnação do dossiê Zona Industrial da Ribeirinha, onde permanece, devido à total falta de infra-estruturas, a incapacidade de dinamizar e promover o espaço. Terá o Município uma resposta para este assunto em 2010? Para já as perspectivas são as piores possíveis. Uma histórica empresa da nossa freguesia (a Beiracer) solicitou terreno para ampliação das instalações. Foi-lhe oferecido…na Zona Industrial de Nelas.

Para qualquer dúvida, esclarecimento ou sugestão agradeço o contacto para mahenriques@sapo.pt

Sem comentários: