1 de fevereiro de 2010

Mário Crespo

O "caso" Mário Crespo - se bem que não introduza nenhuma novidade acerca daquilo que sabemos da "corte" socrática - realça apenas a forma enviesada e pouco democrática como este governo, sobretudo na legislatura passada, via a livre opinião: como um estorvo.
Pior do que isto são os orgãos de comunicação "afilhados" ( e são sempre os mesmos) a pactuarem com a protecção a José Sócrates ( vá se lá saber porquê).
O JORNALISTA sério e integro, de seu nome Mário Crespo, merece o nosso aplauso pela postura arejada que assume, pela opinião frontal sem medo dos poderzinhos do momento.

Sem comentários: