30 de novembro de 2010

O OBSERVADOR - Uma Crise Violenta/ Rankings Escolares


(Publicado na Edição nº 143 do Jornal "Canas de Senhorim")

Uma Crise Violenta


Desde há 2 anos que vivemos uma profunda e violenta crise económica. Crise esta que desde o inicio do ano só se tem agravado. Nas últimas semanas com o reconhecimento público por parte do governo da sua incapacidade para inverter a situação, abateu-se sobre as famílias portuguesas o epílogo da década mais negra da Democracia Portuguesa: a década em que Portugal e os Portugueses empobreceram. Quebrou-se o mito de que é possível construir um “Estado Social generoso” sem dinheiro. Sem um país produtivo.
Ninguém (dos políticos com responsabilidades) pode alegar que não sabia o que se passava. Que não era previsível esta situação. O País está em défice orçamental desde 2001. Portugal carece urgentemente, nos vários órgãos políticos, nacionais ou locais de gente séria. De gente de boas contas. O que mais angustia o cidadão comum é a sensação de falta de rumo que perpassa a vida portuguesa desde há um ano a esta parte. Da ausência de lideres políticos credíveis e de uma ideia de país. De um modelo económico a seguir (o das grandes obras públicas morreu). Nos próximos meses aquilo que chamam de Governo limitar-se-á à gestão corrente. Importa, a bem da Democracia Portuguesa e do nosso futuro colectivo que apareçam pessoas e projectos que nos devolvam a esperança.

Ranking Escolar

No meio de um país à beira do caos económico e financeiro uma nota de grande contentamento. Numa Vila como Canas de Senhorim que tem definhado nos últimos 20 anos, expelindo para lugares distantes os seus naturais por falta de oportunidades de por cá ganharem o pão, uma boa mas não totalmente surpreendente noticia: a classificação da Escola Eng.º Dionísio Augusto Cunha nos rankings escolares, a 23ª melhor escola secundária pública a nível nacional. Uma escola de excelência. Terão os nossos alunos uma inteligência especial face aos alunos das escolas vizinhas? Não me parece que assim seja. Estou convencido que os bons resultados são fruto de uma superior e competente organização e de um trabalho sério de professores e alunos. Numa terra que ainda hoje despreza o seu património arqueológico, que tem um museu encerrado por falta de vontade politica, não deixa de ser irónico o facto de serem a CULTURA e a EDUCAÇÃO a levantar-nos a moral. Estão por isso de parabéns pelos resultados obtidos os alunos, os funcionários, os professores e os encarregados de educação.


Manuel Alexandre Henriques


Para qualquer dúvida, esclarecimento ou sugestão agradeço o contacto para mahenriques@sapo.pt

Sem comentários: