16 de julho de 2011

Novo Governo, Velhos Problemas



(Publicado na Edição nº151 do Jornal Canas de Senhorim)



Com as eleições de 5 de Junho fechou-se um capítulo de instabilidade. Mas infelizmente a crise económica permaneceu, sem freio ou fim à vista. O prestígio do país está pela hora da morte (o que pensam os leitores sobre a Grécia e da sua forma de governo?). O tempo é de grandes responsabilidades para governantes e governados. A austeridade imposta é necessária devido a tantos excessos e cegueira. Mas que ainda assim alguns ainda não interiorizaram....
Ser-nos-á exigida uma enorme resiliência para aguentar uma queda do nível de vida, que se irá começar a sentir, com mais dureza, no 2º semestre deste ano. No quadriénio 2008-2012 o PIB do país irá contrair-se cerca de 5%. Tal empobrecimento só tem paralelo com a já longínqua 2ª década do séc. xx em que Portugal e a Europa viviam em estado de Guerra. O nosso país é pobre e tem vivido como rico. Temos décadas de gastos superiores aos rendimentos gerados. Nenhuma família resistiria a esta lógica gastadora de déficites contínuos e galopantes. Um estado social assim é insustentável. Na actual conjuntura, e com mais força politica (que não temos, por estarmos falidos) poderemos tão só trabalhar para que as condições do financiamento possam vir a ser aliviadas. Por hora não há outra solução: temos de trabalhar muito mais, gastar muito menos e mostrar aos credores que somos gente de bem!

Nem tudo é triste, Nem tudo é fado

Vale também a pena ver também o copo meio cheio:
- As obras de remodelação do quartel dos bombeiros avançam não obstante as dificuldades conhecidas, em particular no facto de nem todos os financiadores cumprirem a tempo e horas os compromissos assumidos.
- O GDR prepara-se para uma inédita participação na 3ª Divisão Nacional de futebol. Oxalá se confirme. Estão de parabéns os Dirigentes e os Associados.
- A Fundação da Lapa do Lobo assume-se com uma entidade benemérita ímpar no Concelho de Nelas, quer pelas actividades formativas e culturais que patrocina quer pelo apoio que presta às associações. Tanta generosidade nestes tempos difíceis é uma grande fortuna para todos nós. A estima e a gratidão por quem nos ajuda nunca serão em excesso.



Para qualquer dúvida, esclarecimento ou sugestão agradeço o contacto para mahenriques@sapo.pt

1 comentário:

Anónimo disse...

mas que governo, para já só tirou e está a colocar os boys.
è a vida...