21 de janeiro de 2012




(Publicado na Edição nº156 do Jornal Canas de Senhorim)








D. Ilídio Leandro

Na data que escrevo estas linhas D.Ilidio Leandro prossegue a sua visita pastoral à paróquia de Canas de Senhorim. É impossível ignorar ou ficar indiferente à importância desta visita para Canas e para os Canenses. Como Pároco, D.Ilidio acompanhou um tempo particularmente difícil em que a voz de Canas e dos Caneneses se levantou contra anos de injustiça, num ruidoso protesto, por vezes com excessos, contra o despotismo de alguns políticos locais. D.Ilidio nesses tempos duros não deixou de nos transmitir a sua marca de tolerância e humanismo promovendo a concórdia e acalmia nas maiores exaltações, que as houve, muito injustas, até contra conterrâneos.
Estes dias de visita pastoral – numa paróquia que o recebe com grande orgulho – são uma bênção pela esperança que advém da mensagem cristã que transmite a todos os canenses. Marcou-me especialmente nas suas palavras o elogio da personalidade combativa dos canenses, do espírito lutador e inconformado que o cativou e que, reconhece, não é fácil de ver em outras paragens.
É por isso com indisfarçável orgulho e satisfação que o acompanhamos à frente da nossa Diocese. Obrigado D.Ildio.

Meio Mandato Autárquico

O mandato da Câmara Municipal está a meio. O balanço destes 2 anos é, infelizmente, negativo. No primeiro ano, e por culpas próprias do executivo nas dificuldades financeiras geradas no mandato anterior, viu a vereação coarctada a possibilidade de cumprir o programa autárquico sufragado (de forma apoteótica) nas urnas. Um vultuoso (e oneroso) empréstimo bancário atenuou a situação. O 2º ano do mandato é marcado pelo continuar da asfixia financeira, agora não só por culpa própria, mas também das crescentes restrições financeiras impostas pelo estado de miséria em que se encontram as finanças públicas nacionais e que motivaram cortes significativos no orçamento municipal.
O cidadão percebe que as condições de 2009 se alteraram mas pede equilíbrio. Percebe que não se pode ter tudo o que fora prometido mas fica perplexo ao ver o poder politico municipal aparecer de mãos vazias quando tudo prometeu em 2009. Questiona-se o cidadão se em politica vale tudo ou se terá havido “dolo” e muita irresponsabilidade no que foi prometido.
No mandato em curso nada se fez ainda em Canas de Senhorim. Projectos como o do Centro Escolar, Casa da Cultura, Rotundas da EN 234, Zona Industrial são dossiês a necessitar de evolução. Percebo por isso a frustração dos eleitores para mais quando fazem as comparações tradicionais com outras localidades do Concelho. Não foi nisto que votaram.
Serão por isso muito exigentes os próximos dois anos para o executivo camarário. A crise explica alguma coisa, mas não tudo. Não me importaria de ver este executivo ganhar outra vez forma apoteótica...se no terreno visse trabalho feito.
Espero, com grande sinceridade, fazer um balanço diferente dentro de 2 anos.


Para qualquer dúvida, esclarecimento ou sugestão agradeço o contacto para mahenriques@sapo.pt

3 comentários:

Anónimo disse...

naturalmente Dr. que não se importa que este executivo ganhe e sempre;

está a acontecer em Canas o que os elitos locais defendem: ausência total de investimento-

eu e muitos não temos culpa, não defendemos esse caminho,

assumam

Anónimo disse...

Está a fazer um ano ,da grande obra em redor da Capela de São Sebastião!!!

Daqui para cá secaram?

Que é feito dos vossos projetos?

Anónimo disse...

um fiasco, tinham era "fome", já comeram e vão continuar a comer.